sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Campo Pequeno (Pela TV)

Como pela TV vimos o que o realizador quer e não assistimos ao vivo para ter uma opinião mais concreta, limitações a nossa observação de forma sintetizada como se impõe.



Talvez muitos não esperassem um encerramento da temporada no Campo Pequeno com o ambiente que pudemos ver pela televisão, em especial quando se trata de uma Tourada de Gala à Antiga Portuguesa. Na realidade o público acudiu e entre ele Morante de La Puebla acompanhado por Pedro Marques. O toureiro de La Puebla foi brindado, o que fez com que mesmo com seu visual não pudesse passar despercebido.
Os Murubes de Diogo Passanha na generalidade proporcionaram aquilo que é apanágio deste encaste: Permitir que os cavaleiros se possam recrear nas sortes, uns com mais transmissão do que outros. O ganadeiro foi distinguido com volta à arena pelo comportamento dos touros da Herdade da Pina.
Distinguidas também instituições que têm defendido os interesses da Festa como as associações de ganadeiros, toureiros e forcados.
Confronto de estilos nos cavaleiros em praça como a veterania de Rui Salvador e Rui Fernandes a resolverem a papeleta, os estilos inconfundíveis dos dois primos vindos de Monforte, como João Moura Caetano e João Moura Jr., com as actuações mais consistentes, a ortodoxia de Manuel Telles Bastos e a irreverência de Luís Rouxinol Jr.
Em ano de muita apreensão e tristeza no que aos forcados portugueses concerne, uma vez mais ficou provado que pese todas as adversidades os forcados, estão sempre aí para apertar a cinta, colocar o barrete e bater as palmas aos touros, para que nesse abraço se funda o mais genuíno da Festa dos Touros em qualquer parte do mundo: O Touro e o Homem, sem adulterar o mais puro deste espectáculo.(Fotos-João Silva)










quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PROGRAMAÇÃO DA XLII FEIRA NACIONAL DO CAVALO NA GOLEGÃ

De 3 a 12 de Novembro tem lugar na Golegã numa realização do Município local, a XLII Feira Nacional do Cavalo e a XIX Feira Internacional do Cavalo Lusitano. A Feira de S. Martinho realiza-se na Vila da Colegã desde 1571


PROGRAMAÇÃO

03 de Novembro (Sexta-Feira)

08:00 Concurso Nacional Especial de Saltos de Obstáculos | Show Jumping (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 14:00 Taça de Portugal de Equitação de Trabalho – Prova de Ensino | Portuguese Cup Working Equitation (Largo do Arneiro). 15:30 CAN Concurso de Atrelagem Nacional 2* – Prova de Ensino | Horse Driving National Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 22:00 Espectáculo Equestre | Equestrian Show (Largo do Arneiro)

04 de Novembro (Sábado)

09:00 Concurso Nacional Especial de Saltos de Obstáculos | Show Jumping (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 09:00 Concurso de Resistência Equestre – Partida | Departure Endurance Competition (Largo do Arneiro). 09:00 Taça de Portugal de TREC – POR – Prova de Orientação – Partida | TREC Guidance Portuguese Cup (Largo do Arneiro). 09:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 11:00 CAN Concurso de Atrelagem Nacional 2* – Prova de Maratona | Horse Driving Competition – Marathon (Quinta da Labruja). 14:00 Taça de Portugal de Equitação de Trabalho – Prova de Maneabilidade | Portuguese Cup Working Equitation (Largo do Arneiro). 19:00 Entrega de Prémios do Concurso de Resistência Equestre | Endurance Competition Prize Giving (Largo do Arneiro). 21:00 Concurso Nacional Especial de Saltos de Obstáculos – Potência (Prova das 6 barras) II Troféu Pedro Faria | Show Jumping (Largo do Arneiro)

05 de Novembro (Domingo)

09:00 Concurso Nacional Especial de Saltos de Obstáculos | Show Jumping (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 09:00 Taça de Portugal de TREC – MA (Medição de Andamentos) | TREC Measurement and Movements Portuguese Cup (Quinta da Labruja). 09:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 11:00 Taça de Portugal de TREC – PTV (Percurso em terreno variado) | TREC Portuguese Cup (Quinta da Labruja). 11:30 Concurso de Atrelagem Nacional 2* – Prova de Cones | Horse Driving Competition (Largo do Arneiro). 12:30 Entrega de Prémios do CAN 2* | Prize Giving (Largo do Arneiro). 15:00 Taça de Portugal de Equitação de Trabalho – Prova de Velocidade | Dressage of Working Equitation Portuguese Cup (Largo do Arneiro)

06 de Novembro (Segunda-feira)

09:00 IV Campeonato Nacional Inter Escolar de Equitação (I Jorn.) – Prova de Ensino | Championship Schools Equitation (Largo do Arneiro). 21:00 IV Campeonato Nacional Inter Escolar de Equitação (I Jorn.) – Prova de Volteio por Equipas | Championship Schools Equitation (Picadeiro Lusitanus)

7 de Novembro (Terça-feira)

09:00 Concurso de Dressage Nacional – Prova P2, E2 e M2 | National Dressage Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 10:00 IV Campeonato Nacional Inter Escolar de Equitação (I Jorn.) – Prova de Saltos de Obstáculos | Championship Schools Equitation (Largo do Arneiro). 15:00 Concurso de Dressage Nacional – Prova C2 | National Dressage Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 15:00 IV Campeonato Nacional Inter Escolar de Equitação (I Jorn.) – Prova de Cross por Equipas | Championship Schools Equitation (Quinta da Labruja). 16:00 Prova de Cross por Equipas | Team Cross (Quinta da Labruja). 19:00 IV Campeonato Nacional Inter Escolar de Equitação (I Jorn.) – Entrega de Prémios | Championship Schools Equitation (Largo do Arneiro)

08 de Novembro (Quarta-feira)

09:30 V Jornadas do Grupo de Trabalho de Investigação em Equídeos | Journeys of the Working Group of Equidae Research. 10:00 Concurso de Dressage Nacional – Prova P3, E3 e M3 | National Dressage Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 15:00 Concurso de Dressage Nacional – Prova C3 e S. Jorge | National Dressage Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 15:00 Prova de Equitação à Portuguesa – Prova Nível B e A | Portuguese Equitation Tests (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 20:30 Troféu Marquês de Marialva – Concurso de Dressage Nacional – Prova livre com música – Nível Internacional (Free-Style) | National Dressage Competition (Largo do Arneiro). 22:30 Espetáculo Equestre – Centro Equestre da Lezíria Grande | Horse Show (Largo do Arneiro)

9 de Novembro (Quinta-feira)

09:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 10:00 LVII Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela FNC e XIX Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela da Feira Internacional do Cavalo Lusitano (Largo do Arneiro). 10:00 Poldros de 3 anos, apresentados à mão | 3 Yr. Old Horses (Presented By Hand) (Largo do Arneiro). 14:00 Cavalos de 4 anos, apresentados montados | 4 Yr. Old Horses (Presented Under Saddle) (Largo do Arneiro). 16:00 Cavalos de 5 anos ou mais, apresentados montados | Stallions (Presented Under Saddle) (Largo do Arneiro). 22:00 Espetáculo Equestre | Equestrian Show (Largo do Arneiro)

10 de Novembro (Sexta-Feira)

09:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 15:00 Final do Campeonato Combinado de Maratona – 1ª Mão | Horse Driving Combined, Marathon Competition (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 18:30 Apresentação do Livro de Béatrice Bulteau | Book Presentation (Largo do Arneiro). 19:00 Apresentação da Raça Sorraia, Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS) | Presentation (Largo do Arneiro). 20:00 Baile da Jaqueta | Traditional Portuguese Equestrian Costume Ball (Quinta dos Álamos). 21:30 Recordar João Trigueiros de Aragão | Tribute (Largo do Arneiro). 22:00 Apresentação da Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE) | Presentation (Largo do Arneiro)

11 de Novembro (Sábado) – Dia de São Martinho / Saint Martin Day

09:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 11:00 Final do Campeonato Combinado de Maratona – 2ª Mão | Horse Driving Combined, Marathon Competition (Largo do Arneiro). 12:00 Cerimónia de Entrega de Prémios do Campeonato Combinado de Maratona | Prize awards Horse Driving Combined, Marathon Competition (Largo do Arneiro). 12:30 Partida do Cortejo dos Romeiros de São Martinho | Procession of Saint Martin’s Pilgrims (Porta de Fernão Lourenço). 13:00 Bênção dos Romeiros de São Martinho | Blessing of the Saint Martin’s Pilgrims (Igreja Matriz). 13:30 Chegada do Cortejo dos Romeiros de São Martinho | Arrival of Saint Martin’s Pilgrims (Largo do Arneiro). 15:30 Cerimónia de Entrega de Prémios da Feira de S. Martinho, XLII Feira Nacional do Cavalo e da XIX Feira Internacional do Cavalo Lusitano – Campeões de Raça | Official Award Ceremony of the 2017 Fair – Breed Champions (Largo do Arneiro). 16:00 Homenagem ao Presidente de Honra do LVII Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela FNC e XIX Concurso Nacional de Apresentação do Cavalo de Sela da Feira Internacional do Cavalo Lusitano | Tribute (Largo do Arneiro). 16:00 Taça de Portugal de Horseball (Meias Finais Seniores) | Horseball Portuguese Cup (Hippos Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). 19:00 Prémios Golegã – Distinção à Excelência Equestre | Golegã Prizes – Distinction of Equestrian Excellence (Largo do Arneiro). 22:00 Cavalhadas – Prova de Perícia e Destreza | Mounted Games – Skill and Expertise Test (Largo do Arneiro)

12 de Novembro (Domingo)


14:00 XX Open Golegã FNC | Tennis Open (Campo de Ténis). 18:00 Horseball – Final da Challenge Cup (Sub 16 Anos) (Largo do Arneiro). 18:45 Horseball – Final da Taça de Portugal (Seniores) (Largo do Arneiro). 20:15 Horseball – Cerimónia de Entrega de Prémios da Taça de Portugal | Prize awards (Largo do Arneiro).

terça-feira, 10 de outubro de 2017

VIDEO - "Juanito" corta uma orelha ao primeiro do seu lote em Zaragoza

Colhida de Jesus Colombo em Valência impede a sua alternativa

Ao ser colhido em Valência e com uma larga recuperação pela frente, Jesus Colombo já não pode tomar a alternativa amanhã na Feira del Pilar de Zaragoza. 
Ginés Marín será o substituto de Jesús Enrique Colombo. O cartel será composto por Enrique Ponce, Caetano e Jésus Marín que lidam uma corrida de Juan Pedro Domecq.

Illescas - Pepe Moral indulta touro de Vitorino

Luís Rouxinol Júnior: “A minha primeira temporada como profissional foi muito exigente”

O cavaleiro Luís Rouxinol, que dia 12 actua no Campo Pequeno, considera que a temporada de 2017, a sua primeira como profissional, “foi muito exigente e recheada de desafios da maior importância”.



“Sinto-me satisfeito pela forma como decorreu, até pelo facto de ter vencido alguns importantes troféus destinados a premiar a melhor lide”, disse o cavaleiro.
Luís Rouxinol Júnior encontra no cavalo Lusitano o “colaborador ideal para o toureio”, raça onde, no seu entender melhor distribuídas se encontram as características que lhes exige: “habilidade no momento da reunião, flexibilidade para lidar, para mover o toiro na praça e carácter forte, ânimo para entrar de caras nos terrenos do toiro e potência para sair limpo da sorte”.
A base da sua quadra têm sido o “Amoroso”, um Puro sangue Lusitano com ferro Santos Montez e o “Douro”, um Anglo-Luso-Árabe com ferro “Terras do Baixo Mondego”. Para 2018, Luís Rouxinol Júnior deposita “grandes esperanças em dois cavalos que poderão vir a fazer a diferença. Um é Puro Sangue Lusitano, filho do “Ulisses”, das Silveiras”.
Recordando a data da sua Alternativa (20 de Julho, no Campo Pequeno), Luis Rouxinol Júnior diz ter sido uma noite muito especial, “de muita exigência, mas foi a concretização de um sonho”, que o seu pai, Luís Rouxinol, apadrinhou.
Sobre a sua vinda à Corrida de Gala à Antiga Portuguesa que encerra a temporada dos 125 anos do Campo Pequeno manifesta a sua satisfação por, no mesmo ano, actuar na primeira praça do país por duas vezes.
“Em 2015 actuei na corrida de gala…é um ambiente único, um público especial…, mas igualmente uma responsabilidade acrescida…quem me dera voltar a triunfar este ano e assim encerrar a minha primeira temporada de profissional com chave de ouro”, refere.
Sobre o cartel, diz ser “excelente, de grande qualidade e, por consequência, de grande responsabilidade para cada um de nós. É um cartel com dois cavaleiros consagrados, Rui Salvador e Rui Fernandes e quatro mais jovens, três dos quais, o João Moura Caetano, o Manuel Ribeiro Telles Bastos e o João Moura Júnior, que são figuras do toureio e eu…que quero vir a ser. Também no que respeita às pegas, a corrida promete, com a competição entre os grupos de Évora e de Vila Franca. E para rematar…um curro imponente da ganadaria Passanha”.
“Tudo isto concorre para que a noite de 12 de Outubro seja uma grande noite de toiros”, conclui.

sábado, 7 de outubro de 2017

Hoje e amanhã touros em Castilla La Mancha

A televisão de Castilla la Mancha http://www.cmmedia.es/programas/tv/toroso canal televisivo que mais espectáculos de touros transmite, brinda os aficionados este fim-de-semana com duas corridas. 
A primeira já hoje desde "Torrejón de Ardoz, corrida de toros benéfica bajo el lema “Juntos Somos Invencibles” en favor de la Fundación Aladina, para colaborar en la lucha contra el cáncer infantil. El diestro Gonzalo Caballero se encierra con 6 toros de diversas ganaderías para recaudar fondos.
Domingo 8: Octavio Chacón, Morenito de Aranda, Rubén Pinar y el novillero Diego Carretero se dan cita en Hellín para hacernos disfrutar de una tarde de toros con reses de La Palmosilla y Hros. Garzón y Valdenegro".

III Feira do TurismoTaurino em Sevilha

O presidente de la Diputación, Fernando Rodríguez Villalobos, e o rejoneador Diego Ventura, inauguraram ontem a III Feira de Turismo Taurino “Território Toro” em Sevilha, e que decorre até domingo dia 8 de Outubro. O acto contou com personalidades políticas e do mundo do touro como Tomás Campuzano, Pepe Luis Vargas ou o ganadero Conde de La Maza.
Os organizadores estimam que o mundo do touro tem um impacto na economia espanhola de 1.600 milhões de euros; geram 142.000 postos de trabalho procedentes das actividades vinculadas com a Tauromaquia, 57.000 deles, empregos directos.
O Presidente da Diputación considera tratar-se de aproveitar a realidade “rural do nosso território para que gere um maior desenvolvimento em seu redor”, assegurando que “neste sentido a III Feira do Turismo Taurino com a inclusão do “Território Toro” é uma oportunidade para incluir novas herdades abertas a visitas turísticas e uma relação de empresas cuja actividade se orienta com a experiência do mundo do touro bravo”, concluiu

Campo Pequeno 12 de Outubro - Diogo Passanha: “A Ganadaria está num bom momento”

O ganadero Diogo Passanha, que lidará no Campo Pequeno a 12 de Outubro, na corrida de Gala à Antiga Portuguesa, considera que a sua ganadaria está num bom momento e baseia a sua afirmação nos triunfos alcançados esta temporada, tanto em Portugal como em Espanha.

- Diogo Passanha no Monte da Pina (foto-D.R.) -
“A ganadaria Passanha é, hoje em dia uma das preferidas pelas grandes figuras do rejoneo, pois os meus toiros proporcionam, regra geral bons triunfos”, refere Diogo Passanha que enumera os êxitos obtidos em praças como Villarobledo, Torrejón de Ardoz, Sória, Teruel, Huesca, Villarubia de los Ojos e Pozoblanco, ao passo que, em Portugal, destaca os êxitos de Reguengos, Évora e Vila Franca.
Na corrida de encerramento da temporada de Lisboa, os “Passanha” serão lidados pelos cavaleiros Rui Salvador, Rui Fernandes, João Moura Caetano, Manuel Ribeiro Telles Bastos, João Moura Júnior e Luís Rouxinol Júnior e pegados pelos grupos de forcados amadores de Évora e de Vila Franca de Xira, capitaneados respectivamente por João Pedro Oliveira e Ricardo Castelo.
Na temporada que está prestes a findar, a ganadaria lidou cerca de 75 toiros e para o ano dispõe entre 90 a 100 para lidar, sendo o seu efectivo de 300 vacas de ventre e respectivas crias e doze sementais, todos de ferro “Passanha”.
Diogo destaca a homogeneidade na apresentação e condições de lide patenteados durante toda a temporada pelos exemplares da casa. “Regularidade na bravura foram as dominantes dos Passanha lidados esta temporada".
Adepto confesso do encaste Murube, o ganadero explica o porquê dessa preferência, “pela quantidade de toiros bravos e nobres que este encaste tem proporcionado ao longo dos anos”.
Como ponto menos forte deste encaste, refere a falta de cara que por vezes alguns toiros exibem, referindo que “beneficiariam com um pouco mais de cara, como existe no encaste Domecq”.
A ganadaria Passanha procede da que D. Lorenza Cortés herdou, em 1918, de D. Vicente Cortés García, tendo sido aumentada com reses de Nicasio López Navalón, com origem na ganadaria de D. María Sánchez, antes Trespalacios. Foi vendida em 1965 à Condessa de Las Atalayas que por sua vez a vendeu, em 1970, a D. Luís Maldonado Passanha que eliminou estas reses e adquiriu outras de origem Urquijo, herdadas de seu pai D. Diogo Francisco d’Afonseca Maldonado Passanha. Em 1993, a ganadaria passou para D. João Maldonado Passanha, e por falecimento deste (11 de Agosto de 2016), a seu filho Diogo. Dado que a antiguidade inicial se perdeu em 1971, pois o ferro e a divisa foram mudados para a forma actual, a antiguidade foi estabelecida em Madrid, na corrida de 3 de Setembro de 1972. De encaste Murube-Urquijo, a ganadaria pasta na Herdade da Pina (Évora).

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Juan del Álamo, triunfador da Feira de Salamanca

O júri da Peña Taurina “El Viti” de Salamanca, decidiu atribuir ao matador Juán Del Álamo, apoderado pelo português Rui Bento Vasques o 33º Troféu como Triunfador da Feira.
O júri teve como base para esta atribuição o corte de três orelhas pelo toureiro de Ciudad Rodrigo à corrida de Garcigrande que teve lugar a 14 de Setembro.

Vitorino deixa um vazio, que dificilmente será preenchido

Quando o Rei de Espanha Filipe VI o distinguiu com o galardão mais que merecido, já o seu estado era de grande debilidade. Foi o seu próprio filho que anunciou durante a Feira de Outono em Madrid, que Vitorino Martín Andrés tinha sofrido um acidente vascular cerebral.
Era de alguma forma esperada, dada a sua idade e debilidade física, que esta triste notícia surgisse a qualquer momento.
Nunca fui dado a colocar-me ao lado de gente do Planeta dos Touros para fazer fotos (algumas que guardam foram gentilezas do meu querido Amigo e companheiro de lides taurinas, Emílio de Jesus, a quem mando um forte abraço). As melhores imagens são aquelas que guardamos na nossa melhoria, que não se borram, que não se desvanecem nem ficam amarelas com o tempo.

Vitor Mendes proporcionou-me por duas vezes privar com a lenda que já era e perdurará nos tempos, Vitorino Martín. A primeira aquando do I Congresso Mundial de Ganadeiros que teve lugar no Hotel Sheraton em Lisboa e que o Maestro Vitor Mendes me apresentou (não houve fotos) ao de Galapagar. Mais tarde seria de novo Vitor Mendes ao convidar-me para o acompanhar a um tentadero nas Almargias do meu saudoso Amigo Simão Malta, reencontrar-me com Vitorino e poder fazer-lhe uma entrevista para a Novo Burladero.
Numa outra ocasião encontrámo-nos na Feira de Olivenza e depois do sorteio, entre barreiras, tirámos então uma foto, eu, o Manuel Campos de Almeida e o João Queirós.
A dimensão de Vitorino Martín como ganadeiro todos a conhecemos. A base de como foi construindo a sua ganadaria, a forma como foi lançada em Madrid, com Andrés Vasquez. Os êxitos que foi recolhendo, a "força"que tinha junto das empresas e o indulto dos seus touros.
No entanto a sua verdadeira dimensão de um grande ganadeiro, um grande aficionado e conhecedor, tive a oportunidade de o comprovar nesse tentadero nas Almargias e na tertúlia depois do almoço.
Partiu um grande senhor da tauromaquia mundial e estamos todos mais pobres. Paz à sua alma!

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Toureiros reivindicam uma pátria una e indivisível


Com o "referendo" na Catalunha os profissionais do toureio reivindicam uma Espanha única e indivisível. Depois de tudo o que se passou na Catalunha a nível de acabar com o espectáculo dos touros e, ao fim e ao cabo, com tudo aquilo que é essencialmente espanhol, os toureiros com grande destaque para Miguel Angel Perera, que saiu a ombros da Monumental de Las Ventas envolto na bandeira de Espanha, defendem uma pátria única. Também em Algemési os triunfadores saíram com a bandeira do país vizinho a cobri-los.
Este movimento estende-se não só aos touros como a outros sectores que não estão de acordo no "retalhar" de Espanha, com as regiões que já dispõem de autonomia agora a seguirem pelo caminho dos “independentistas”.

Victorino Martín sofre acidente vascular cerebral

Segundo informou o seu filho, o prestigiado ganadeiro que marca o mundo taurino no século XX e XXI, sofreu um acidente vascular cerebral e encontra-se na sua "finca" sob observação e pendente da evolução.
Vitorino Martín de 88 anos de idade tinha sido recentemente agraciado pelo Rei de Espanha com o Prémio Nacional de Tauromaquia que teve lugar na Catedral de Cuenca e que contou com a presença da Rainha e do Ministro da Educação.(Foto-D.R.)



Triunfo de Miguel Angel Perera na Feira de Outono

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Triunfos de Ana Rita com os victorinos em Yecla e “Juanito em Fregenal


Yecla (Murcia), domingo 25 de Setembro de 2017. Corrida de touros mista. Touros de Victorino Martín, bem apresentados e de jogo díspar, destacando-se o 6º, bravo. A cavaleira Ana Rita, duas orelhas e orelha; Morenito de Aranda, silêncio e orelha; Daniel Luque, silêncio e duas orelhas. Entrada: Menos de meia praça.
Fregenal de la Sierra (Badajoz) – Novilhos de José Luis Iniesta para David Bolsico, silêncio e orelha; João Silva “Juanito”, orelha e duas orelhas; José Luis Moreno, que debutava com picadores, orelha em ambos.

domingo, 24 de setembro de 2017

Elvas – Cavaleiros por cima dos touros na tourada de S. Mateus

Em plenas Festas de S. Mateus o Coliseu de Elvas registar dois terços da sua lotação preenchida, por si só já é um êxito. Se a tudo isto juntarmos as actuações dos cavaleiros que estiveram por cima das condições de toureabilidade do curro de Herdºs de Rodolfo Proença não há motivos para não ter saído satisfeito da praça. Como aspecto menos positivo o muito tempo que um dos touros levou para ser recolhido (só à corda) e algum infortúnio e certa desorientação, por parte dos grupos numa ou outra pega.
Os touros de Herdºs de Rodolfo Proença com idade (4 e 5 anos), peso mas de comportamento diverso, proporcionaram sobretudo na primeira parte momentos de bom toureio a cavalo.

João Moura Caetano baseou as suas lides num toureio começando por dar vantagem aos touros, citando de largo para depois, com uma batida ao piton de fora, deixar os ferros. Em alguma ocasião a batida foi demasiado pronunciada, o que levou a faltar-lhe touro. Em terrenos bem elegidos e com um toureio já mais em curto e mais ajustado, teve momentos de empolgar as bancadas. De referir que, o primeiro do seu lote, era um touro bem apresentado mas com pouca força, em especial por não poder empurrar muito com os rins. Quanto ao segundo, começou por acudir aos cites de João para aos poucos vir a parar-se e retirar a emoção que o touro deve colocar e que foi suprimida pela entrega do toureio.
Marco Tenório recebeu à porta dos curros o primeiro do seu lote. Um touro mais voluntarioso que permitiu esse toureio de ligação, movimento e emoção que colocou na lide deste touro.
É o seu conceito de toureio. Entrega, variedade nas sortes e essa sensação de perigo que leva às bancadas por aquilo que arrisca em cada ferro. Uma lufada de ar fresco na monotonia por vezes das lides a que assistimos em Portugal. É necessário transmitir ao público que o que se passa na arena é arte, improviso, domínio das montadas e que não está ao alcance de qualquer um. Marcos Tenório raiou a grande altura neste seu primeiro touro, desde que começou por fixar o touro nos médios, passando pelos galopes a duas pistas (com a inversão por dentro num palmo de terreno) mas, sobretudo, pela forma recta como entrou a atacar o touro provocando-lhe as investidas. Elegeu bem os terrenos quando colocou a rosa e o par de bandarilhas que leva a marca da casa mas, com o seu selo próprio. Marcos confirmou nesta noite, em especial na lide do primeiro do seu lote, a grande temporada que tem vindo a realizar. Com o segundo um  touro que não dava grandes hipóteses, colocou empenho e destreza, recorrendo a dois pares de bandarilhas, saindo debaixo de aplausos.
Duarte Pinto enfrentou-se com o seu primeiro, um touro com cinco anos com alguma mobilidade de principio mas, por vezes distraído, a sair-se dos cites. Duarte é um cavaleiro com um conceito mais ortodoxo ou, se quisermos mais clássico. São poucas as concessões às bancadas. Baseia o seu toureio numa equitação de muito respeito pelos “velhos cânones”. Elegeu muito bem os terrenos para lidar este touro. Quando este ainda teve alguma réstia de prontidão, citou de largo e deixou vir o touro para colocar a ferragem correcta. À medida que o touro se parava mais, encurtou os terrenos e atacou mais o touro, sempre entrando recto e procurando a reunião perfeita para deixar a ferragem. A sua actuação foi de facto limpa, de entrega, faltando um pouco mais da parte do touro. Com o segundo que andava a chouto, ou a colocar-se ao lado do cavalo, permitiu por vezes a Duarte citar indo a passo para depois carregar a sorte e deixar os ferros.
Diversa foi a segunda parte, com menos emoção pela falta de transmissão dos touros, sobretudo quando se esperava mais de um curro bem apresentado com touros/touros, com peso idade e o sentido que apresentavam a tudo o que se mexia na trincheira.
Por cima dessas condições estiveram os três cavaleiros em praça que tiveram o detalhe de brindar as suas lides a três figuras do toureio como foram Emídio Pinto, Joaquim Bastinhas e Paulo Caetano, os seus progenitores, maestros e mentores.
A noite não foi muito feliz para os forcados de Évora e Académicos de Elvas, concerteza afectados pelos últimos tristes acontecimentos.
Os Amadores de Évora pegaram um touro à sexta tentativa, outro uma grande pega à segunda e, finalmente, a última pega também ao segundo intento.
Pelos Académicos de Elvas pegaram um touro à terceira, outro à segunda e a última à terceira tentativa.
Dirigiu Agostinho Borges que teve alguma dificuldade em se fazer ouvir por campinos e pessoal dos curros na recolha do touro que demorou bastante, tendo que ser recolhido com a corda o que podia ter acontecido antes. Entre o início das cortesias, a lide e a recolha do touro passaram quarenta minutos. No final a tourada acabou com uma volta festiva de prenúncio de fim de temporada para os três cavaleiros e para os ganadeiros.