segunda-feira, 17 de julho de 2017

1ª Novilhada Nocturna de Las Ventas (Madrid)

Montanchez (Espanha) João Moura Caetano corta 4 orelhas e um rabo e Forcados de Arronches duas pegas à primeira

No passado sábado em Montanchez/Badajoz (Espanha), na improvisada praça de touros na Plaza Mayor, o cartel contou com duas presenças portugueses, João Moura Caetano e o Grupo de Forcados Amadores de Arronches.
Na ausência do anunciado rejoneador Manuel Moreno, a corrida ficou num mano-a-mano entre João Moura Caetano e Sérgio Dominguez, ambos obtiveram o mesmo número de troféus: 4 orelhas e um rabo, frente aos exemplares da ganadaria de San Martín, saíndo em ombros.
Os forcados Amadores de Arronches consumaram duas pegas à primeira tentativa através de Rafael Pimenta e Nuno Carrajola. (As fotos que nos foram enviadas e de pouca qualidade foram obtidas através de telemóvel pelo que pedimos desculpa).



sábado, 15 de julho de 2017

Prémios de Pamplona

Terminada a Feira de San Fermín e cantado o “Pobre de mi”, é altura da atribuição de prémios.

Ginés Marín foi declarado pelo Diário de Navarra como o triunfador da Feria de San Fermín.
Na opinião do jurado pela faena ao touro Gaditano nº 165 de Toros de Cortés ao qual cortou as duas orelhas.
A Comissão Taurina da Casa de Misericórdia de Pamplona, concedeu o prémio para a melhor ganadaria exaequo a Jandilla e Victoriano del Rio. Por sua vez o Prémio Carriquiri para o touro mais bravo foi para “Forjadito” de Victoriano del Rio lidado por Ginés Marín.
O Clube Taurino de Pamplona tornou pública a lista de triunfadores: melhor estocada: Javier Castaño, ao touro “Déjalo”, da ganadaría de Miura, lidado em 2º lugar no dia 14.
Prémio ao melhor par de bandarilhas: Iván García; Prémio ao Maioral, deserto; Prémio à melhor vara, deserto.

Campo Pequeno - Regresso de Pablo dos "velhos" tempos e a magia do toureio de Manzanares

(Merecida volta em ombros e divisão de opiniões na saída pela Porta Grande)
Não pode existir um mano-a-mano entre duas formas de toureio. Como bem explicou o Maestro (Mestre) Mário Coelho no colóquio com que se iniciou esta noite memorável. Colóquio cujo tema "O que é ser Figura" se falou de ser ou não Maestro (Mestre) e se "enfrentaram" egos nos extremos da mesa. Mas adiante. Mário Coelho com clareza deixou dito em palavras sábias, que a base do toureio consiste na triologia: parar, templar e mandar, e isso, só no toureio a pé se pode conseguir, não num tércio de bandarilhas e muito menos no toureio a cavalo ou numa pega. Dito isto e por quem sabe do que fala, não pode existir competição entre um rejoneador e um toureiro a pé, como foi o caso de Pablo e Manzanares.


Pode isso sim, ao juntar-se num cartel duas figuras (toureiros consolidados ao longo das temporadas... e não com uma única) proporcionar um noite de emoções pelas lides de Pablo Hermoso e pelo toureio elegante de Manzanares. Um toureio feito de temple, de muletazos a fazerem parar os ponteiros dos relógios. Com a estética de cada lance ou muletazo de "barbilla en el pecho", de compasso aberto, carregando a sorte e com o mando de "muñecas" sublimes no lancear dos trastes de tourear.
Ao Campo Pequeno depois de algumas passagens menos conseguidas, voltou o Pablo Hermoso de Mendoza. O "velho" Pablo que trazia louca a afición portuguesa, com as suas lides "bebidas" nas águas de Monforte e sublimadas ao extremo. Noite memorável para o de Estella que se colocou de frente, entrando ao pitón contrário, consentindo e rematando os ferros ao estribo. Desfrutou com os galopes a duas pistas, com os recortes por dentro ou com as piruetas. O sorriso estampado no rosto dizia-nos tudo. Pablo reencontrou-se consigo e com o seu público do Campo Pequeno. Tudo com a excelente colaboração dos touros de António Charrua, com volta merecida para o ganadeiro.
Dos touros espanhóis que vieram para José Maria Manzanares, faltou o de Nuñez del Cuvillo, substituído por um de Benjumea e lidou-se os de Garcia Jiménez e Juan Pedro Domecq.
Foi um abanico de toureio de Manzanares, esse que ainda hoje se cantam nas suas faenas de Madrid (a Dalia de Victoriano del Rio) ou Sevilla (2012 com a Puerta del Príncipe), entre outras mais do seu historial de Figura do Toureio.
Manzanares esteve variado com o capote desde largas de joelhos em terra, chiquelinas com a marca "Manzanares", verónicas relantizadas, levando o touro embebido no capote ou os remates com reboleras de sabor "añejo". Mas foi com o quarto da noite que Manzanares pôs o Campo Pequeno de "boca-a-bajo". Faena daquelas que toureiro e aficionado desejam. Sapatilhas atornilladas na arena, embebendo o touro nos vôos da muleta que sacava à frente, relantizava na investida e ajustava-se em cada muletazo. Faena com séries por ambos os pitons, que rematava com esses passes de peito levando o touro pela frente para sacá-lo pela "ombreira” da jaqueta. Um delírio nas bancadas com o toureio a pé, no "reino do cavalo".
Ser figura não é só no toureio, é também na generosidade, e isso demonstrou-o Manzanares depois de parte de faena ao 6º de Juan Pedro Domecq em que carinhosamente convidou o novilheiro português “Cuqui” não só a intervir num quite, como em parte da faena de muleta. Bem esteve o delegado técnico ao não permitir que fosse Joaquim Ribeiro "Cuqui" a simular a estocada. Fê-lo Manzanares sem a "odiosa" bandarilha, mas com a mão, simulando a receber como tão bem executa.

Os forcados de Montemor com uma pega à primeira, outra à segunda e uma à quarta tentativa, completaram o cartel.
Lamentável a divisão de opiniões na volta em ombros de Manzanares e a saída pela Porta Grande, num país em que não se cortam orelhas nem se executa a sorte suprema. Tudo permitido por um regulamento que pode ocasionar situações destas, em que até Manzanares não se sentiu confortável.



























VIDEO - Rafaelillo encerra San Fermín com "Puerta Grande"

Tauroleve Apresentou Oficialmente Corridas da Temporada de Verão na Figueira da Foz

Conforme já aqui tinhamos divulgado a empresa Tauroleve apresentou de forma oficial os cartéis que compõem a Temporada de Verão do Coliseu Figueirense, numa verdadeira tarde de triunfo, que contou com inúmera afluência de público, bem como dos artistas que compõem o cartel do primeiro espectáculo que terá lugar no próximo domingo, dia 23 pelas 18 horas.
Com a cerimónia a ser presidida pelo Dr. Miguel Amaral, presidente da Companhia do Coliseu Figueirense, a mesa esteve igualmente composta por Rui Bento Vasques, Assessor Tauromáquico da Companhia do Coliseu Figueirense, Ricardo Levesinho - da empresa Tauroleve -, e pelos maestros José Júlio, Mário Coelho e Ricardo Chibanga que serão homenageados no primeiro espectáculo.
Em tarde de verdadeira tertúlia, o público teve igualmente o prazer de ouvir as vivências dos maestros presentes no Coliseu Figueirense, sendo de uníssono o desejo que a temporada de 2017 na Figueira da Foz seja a todos os níveis triunfal.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Entre Pablo Hermoso e Manzanares...uma ponte

Por vezes acontece na vida de um aficionado, serem pelo acaso estabelecidas pontes. Pontes que unem passagens na nossa vida. No Campo Pequeno na próxima quinta-feira, no cartel da praça lisboeta estão Pablo Hermoso de Mendoza e José Maria Manzanares. Dois toureiros, dois artistas que se cruzaram na minha vida de formas diferentes. 
Pablo Hermoso concedeu a sua primeira grande entrevista a um órgão de comunicação à Novo Burladero. Pelos contactos com Juan Andrés, irmão de Pablo fui eu a estabelecer essa ponte, para irmos a Estella (Navarra).
(foto-Aurélio Grilo)
Com José Maria Manzanares a estória é bem diferente. José Mari Manzanares, o saudoso Maestro, tive a oportunidade de o entrevistar em directo para o Rádio Clube da Moita, numa corrida da feira em que José Lino era o empresário. Esse momento ficou registado pela objectiva do meu querido Amigo Emílio de Jesus, para mim, o meu "Milocas".
Mais tarde este Manzanares que vem pisar o "ruedo" do Campo Pequeno, cruzei-me com ele, quando ainda de novilheiro, veio tentar às "Esquilas", propriedade de Paulo Caetano. Paulo endereçou o convite à N.B. e fui eu e o Emílio que viemos fazer a cobertura do tentadero de José Maria Manzanares com a presença do seu saudoso pai. Novamente essas imagens foram captadas pelo Emílio que guardo no meu “baú” das recordações de aficionado. São as "pontes" que nos unem ao longo da vida como aficionado. Se Deus quiser, vamos voltar a encontrar-nos os três no Campo Pequeno.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Empresa Tauroleve – Aposta Forte na Promoção na Figueira da Foz

A empresa Tauroleve, promotora dos espectáculos tauromáquicos do Coliseu Figueirense, apostou forte na promoção dos espectáculos que terão lugar na Temporada Taurina de Verão na Figueira da Foz.


Quatro Imagens, Uma Temporada Única! Três cartéis de excelência como a Monumental Coliseu Figueirense Merece!
Um ciclo de corridas para o gosto de todo o tipo de aficionado, nos dias 23 de Julho, 11 e 26 de Agosto.
A constituição da temporada taurina, terá uma Corrida Mista, a LIII Corrida TV e a Corrida Correio da Manhã - Centro. Três corridas de toiros com muitos aliciantes que poderá presenciar no Coliseu Figueirense.
Destaque para a Corrida Mista com um cartel 100% português a 23 de Julho, o confronto de duas das maiores dinastias do toureio a cavalo na corrida de 11 de Agosto e a corrida concurso de pegas no dia 26 de Agosto.
Veja os cartéis para a Figueira da Foz: 23 de Julho – 18:00 horas, Corrida Mista: Homenagem aos Maestros José Júlio, Mário Coelho e Ricardo Chibanga. Cavaleiros: Luís Rouxinol e Luís Rouxinol Jr. Matadores: António João Ferreira e Manuel Dias Gomes.,Forcados: Amadores de Montemor
Ganadarias: 3 Casa Prudêncio (lide a cavalo) e 4 Manuel Veiga (lide a pé)
11 de Agosto – 22:00 horas, LIII Grande Corrida TV, Confronto de Dinastias: Cavaleiros: João Moura; António Ribeiro Telles; Manuel Telles Bastos e Miguel Moura, Forcados: Amadores do Ribatejo e Coimbra, Ganadaria: 6 toiros de Vale de Sorraia
26 de Agosto – 22:00 horas, Grande Corrida Correio da Manhã - Centro / Corrida Concurso de Pegas: Cavaleiros: António Telles, Sónia Matias, João Moura Caetano, Marcos Bastinhas, Marcelo Mendes e Parreirita Cigano, Forcados: Amadores de Tomar, Cascais e Redondo, Ganadaria: 6 toiros de Higino Soveral na Comemoração do seu 25º Aniversário

terça-feira, 4 de julho de 2017

Últimas touradas em imagens - Campo Pequeno, Évora e Monforte

Por gentileza da nossa Amiga Maria João Mil Homens, apresentamos as imagens das últimas touradas que tiveram lugar em Lisboa com uma alternativa, Évora com casa cheia e Monforte com a despedida de um grande forcado monfortense.

LISBOA - CAMPO PEQUENO






 ARENA DE ÉVORA






 MONFORTE