domingo, 20 de agosto de 2017

A TVI e os 125 Anos do Campo Pequeno

Enquanto a Televisão de Serviço Público RTP, paga por todos nós, tem no seu director de programas mais um anti-taurino "encapotado" ao assumir que, mesmo com acréscimo de audiências durante as retransmissões de touradas, a tendência da RTP é diminuir (acabar...porque não falar claramente) o número de touradas a terem lugar na RTP, em boa hora a TVI associou-se a esta data histórica dos 125 anos da praça lisboeta.
Mas a estação de Queluz não o fez só transmitindo a tourada, deu uma bofetada de luva branca à televisão do Estado. Não houve protagonismo, nada foi feito encima do joelho, as entrevistas discretas e os comentadores quase que nem os vimos no pequeno ecrã.
O seu director de programas (brasileiro) assumiu publicamente que este espectáculo é cultura e, como tal, merece a atenção da TVI ao ser incluído na sua programação.
Falar do resultado artístico e do comportamento dos touros e dos forcados, todos nós tivemos essa oportunidade graças à TVI que, não só nos brindou com a transmissão, como para eles o aficionado conta.
Em devido tempo, enviei à TVI um e-mail mostrando qual a minha posição como aficionado perante a atitude da RTP. Manifestei o meu agrado pelo esforço que a estação de Queluz estava a desenvolver para voltar a transmitir touradas em directo. Na volta do correio electrónico recebi esta resposta. Pode ser uma gentileza mas, mostra que não ignoram os aficionados. Obrigado TVI por prestarem o serviço que seria da incumbência do serviço público de televisão.

Portugueses ontem em Espanha - Triunfos de Moura Jr. e Ana Rita

Antequera (Málaga). Touros de Luis Albarrán. Sergio Galán, ovação e orelha;Diego Ventura, duas orelhas e ovação; e João Moura jr, orelha e orelha.
Aroche (Huelva) Touros de Arucci. Ana Rita, quatro orelhas; Sebastián Fernández, duas orelhas e duas orelhas e rabo. Lide a duo ambos, duas orelhas.

Marcos Bastinhas na Feira de D. Benito (Espanha)

A Empresa Coso de Badajoz S.L. (Jose Cutiño-FIT) apresentou os cartéis para a Feira de Setembro em D. Benito, que é composta por três espectáculos actuando o português Marcos Bastinhas na corrida de rejoneo.
7 de Setembro, (Nocturna) Touros de Zalduendo para Enrique Ponce, Roca Rey e Ginés Marín.
8 Setembro. Corrida de Rejoneo. Touros de Sánchez e Sánchez para Pablo Hermoso de Mendoza, Marcos Bastinhas e a francesa Lea Vicens.
Sábado Setembro 9. Novilhada classe práctica. Novilhos de Diego García de la Peña, para Antonio Pintiado, Carlos Domínguez, Alejandro Rivero, Ismael Jiménez.
A pintura do cartel é do artista colombiano Diego Ramos em homenajem a Manolete no ano do seu centenário

Novilhos de Condessa de Sobral em Madrid

Hierro de Condessa de Sobral - Portugal Plaza de toros de Las Ventas. Novillada de Temporada. Un cuarto de entrada. Novillos de Condessa de Sobral, bien presentados, desiguales de tipo, de juego variado. Destacó el enclasado tercero y en menor medida el primero, que tuvo movilidad. Un sobrero (5º) de Mercedes Figueroa, que embistió con franqueza hasta que se lesionó logo-mundotoro-fichas-crónicas Fernando Beltrán, silencio tras aviso y ovación; Daniel Crespo, silencio tras aviso y silencio; Adrián Henche, ovación y vuelta al ruedo tras aviso.

Cazalla de La Sierra (Sevilha) - João Moura Caetano corta 3 orelhas e Forcados de Arronches três pegas à primeira


Ontem em Cazalla de la Sierra na província de Sevilha, o cavaleiro João Moura Caetano cortou três orelhas aos touros portugueses de Couto de Fornilhos, Oscar Mota (que substituiu Andy Cartagena) 4 e um rabo e Alejandro Rodriguez orelha e ovação.
Os Forcados de Arronches pegaram os três touros à primeira tentativa através de Nuno Carrajola, Pedro Galinha Nunes e Luís Marques, com destaque para a coesão do grupo arronchense

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

João Moura Caetano e Forcados de Arronches em Espanha

Os Forcados de Arronches pegaram ontem em Santiago de La Espada (Espanha)
Foram caras Nuno Carrajola e Tiago Miguel, ambos consumando as pegas à segunda tentativa.
Actuou o cavaleiro João Moura Caetano (1 orelha e 2 orelhas) e Pencho Solano (2 orelhas e 1 orelha).

Madrid – Feira de Outono, uma feira “torista”, onde entra a ganadaria Palha

FESTEJOS PRÉVIOS

Domingo 3 de Setembro: Diego Fernández, Abel Robles e Diego Carretero (San Martín)
Domingo 10: Octávio Chacón, Pérez Mota e José Carlos Venegas (Saltillo e Juan Luis Fraile)
Domingo 17: Rubén Pinar, Javier Cortés e Gómez del Pilar (Palha e Hoyo de la Gitana)

FEIRA DE OUTONO
Sábado, 23 de Setembro: Mano a mano. Sergio Galán e Leonardo Hernández (Capea)
Domingo 24: Iván Vicente, Luis Bolívar e Alberto Aguilar (José Escolar e Ana Romero)
Quarta-feira 27: Jesús Enrique Colombo, Leo Valadez e Carlos Ochoa (El Ventorrillo)
Quinta-feira 28: Morenito de Aranda, Joselito Adame e Román (Fuente Ymbro)
Sexta-feira 29: Antonio Ferrera, Sebastián Castella e Luis David Adame (conf.) (Núñez del Cuvillo)
Sábado 30: Miguel Ángel Perera, Juan del Álamo e López Simón (Puerto de San Lorenzo)
Domingo, 1 de Outubro: Mano a mano. Antonio Ferrera e Paco Ureña (Adolfo Martín)

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

As imagens da Tourada em Reguengos

Estas são as imagens das lides e pegas da tradicional tourada do 15 de Agosto na Praça de Touros de Reguengos de Monsaraz, captadas pela objectiva da Maria Mil Homens.



















terça-feira, 15 de agosto de 2017

San Sebastián - Orelha para Ponce e Caetano

San Sebastián, lunes 14 de agosto de 2017. Dos toros, para rejones, de Hdros. de Ángel Sánchez y Sánchez, y cuatro, para lidia a pie, de José Vázquez. Destacaron 3º y 4º, muy buenos ambos. También bueno el 5º, aunque a menos. El rejoneador Hermoso de Mendoza, silencio y ovación; Enrique Ponce, vuelta al ruedo tras fuerte petición y oreja tras aviso; y Cayetano, oreja y silencio. Entrada: Tres cuartos. Saludaron tras parear al tercero Iván García y Alberto Zayas.

Morante de La Puebla vai-se do toureio por razões óbvias

Sou desde sempre Morantista confesso, desde que naqueles já longínquos tempos, o prestigiado crítico Filiberto Mira nos Açores me disse: mira Fernando ojo en este chico José António, que es de Puebla. Enpesou a torear con caballos y hay que verlo..."
Morante tem razão com os touros fora de tipo, com muito volume, caras estateladas e que pouco transmite. Este não é o tipo de touro (se bem que eleitas as ganadarias pelas figuras) que Madrid e outras praças de primeira impõem, para o toureio artístico. Este é o touro infelizmente, para os "guerrilheiros" que, ou toureiam estes... ou ficam em casa. Este é o touro que não cuida do futuro da Festa com os novilheiros, como já o denunciou Simón Casas. Morante tem razão, como razão teve quando "impôs" que o ruedo de Las Ventas fosse rebaixado, porque prejudicava os touros, picadores e toureiros...e teve razão como se viu.
Morante vai tomar um descanso mas, estou certo que a exemplo da outra pausa que fez, um dia vai voltar, porque a Festa não é a mesma sem Morante, até para os que não gostam dele.

Os 125 Anos da Praça do Campo Pequeno

No próximo dia 18 de Agosto, sexta-feira, a Praça de Toiros do Campo Pequeno celebra 125 anos desde a data da sua inauguração e fá-lo-à com um programa especial que começará às 21h15.

A data ficará assinalada pela emissão de um selo dos CTT alusivo aos 125 anos do Campo Pequeno e, à noite haverá um programa especial a anteceder a já anunciada corrida de toiros.
A partir das 21h15, actuará a Charanga a cavalo da Guarda Nacional Republicana, o único agrupamento no mundo que executa trechos musicais nos três andamentos naturais do cavalo: passo, trote e galope.
Seguir-se-à a entrega formal de uma mensagem à Administração do Campo Pequeno, em envelope timbrado com o selo comemorativo e uma sessão de fados, com a participação da fadista luso-descendente Nathalie e do consagrado Camané.
A corrida de toiros tem como grande aliciante a participação dos três grandes Mestres portugueses do toureio a cavalo que lidarão seis toiros de seis ganadarias históricas.
Em praça estarão os cavaleiros João Moura, António Ribeiro Telles e Luís Rouxinol e os forcados amadores de Montemor e de Lisboa, capitaneados por António Vacas de Carvalho e Pedro Maria Gomes, respectivamente.
Nesta corrida, que não será concurso de ganadarias, lidar-se-ão exemplares das divisas Palha, Ribeiro Telles, Oliveiras Irmãos, Mário e Herdeiros de Manuel Vinhas, Murteira Grave e Passanha.
No intervalo da corrida serão descerradas duas lápides alusivas à data, no átrio principal da praça.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Monforte - Uma grande lide de Francisco Cortes, uma volta para o ganadeiro pela casta dos seus touros, a confirmação de António Prates e o estoicismo dos forcados

Quando no mesmo dia à tarde, assisti à corrida de San Sebastian com um excelente curro de Parralejo (que debutava) e vejo dois touros aplaudidos no arrastre e um com volta ao ruedo e o representante da ganadaria fica no burladero, pergunto-me a mim mesmo, qual foi o critério para a volta à arena de Fernandes de Castro. Só pode ser pela casta e não pela bravura, quando houve touros a colocarem-se ao lado das montadas, esperarem e alguns até a adiantarem-se. Isto para não falar quando se refugiavam nos terrenos de dentro e não saiam para os forcados, tendo estes que pisar terrenos de grande compromisso, como aconteceu com Manuel Cardoso (Arronches) e Dinis Pacheco (Monforte), por exemplo.
Francisco Cortes rubricou ontem em Monforte uma das melhores lides que lhe vimos nos últimos tempos (um bom prenúncio para Estremoz). Trouxe sempre o touro embebido na garupa das montadas, templando-lhe as investidas, dobrou-se e fixou o touro nos médios, partindo para as sortes de frente, sem velocidade excessiva e reunindo ao estribo. Tudo com senhorio, num toureio feito de seriedade, que satisfez os verdadeiros aficionados.
Foi esta lide a que mantivemos na memória e a promessa de António Prates, que confirmou aquilo que tinha feito em Arronches pelo São João. Está bem montado, tem a noção da lide e dos terrenos. Pode praticar um toureio mais ou menos ortodoxo mas, é um praticante para ter em conta e mais oportunidades. Lá isso é de certeza.
Quanto ao resto, Tito Semedo esteve igual a si próprio, chegando ao público; Gilberto Filipe colocou três compridos para parar o touro e desenvolver o seu toureio onde se destaca o excelente equitador e os seus recursos; Tiago Carreiras colocou da sua parte a transmissão que faltou ao touro, grande e fora do tipo da ganadaria; Francisco Núncio revelou alguns problemas com as montadas, numa lide irregular mas, que se admite sendo um cavaleiro praticante.
Perante as características dos de Fernandes de Castro, cujo encaste nos recordamos nos anos setenta as dificuldades que sempre colocaram aos forcados, forem estes os “heróis” mais que prováveis desta noite, onde o grupo de Arronches conseguiu duas grandes pegas à primeira pelo cabo Manuel Cardoso, dando o exemplo e pisando os terrenos do touro com grande valentia (consciente) e outra por Luís Marques. 
O grupo de Monforte mostrou o estoicismo de Dinis Pacheco à segunda a ter que ir buscar o touro aos terrenos de compromisso e Ricardo Gonzalez à terceira em dobra a Diogo Pereira que saiu para a enfermaria. Pelo grupo do Redondo, André Ramalho arrancou uma pega à primeira de grande espectacularidade e recorrendo já em sorte sesgada, Hugo Figueira consumou à quinta tentativa em dobra a Carlos Cabral.
Registou-se uma entrada a roçar os três quartos da lotação disponível nesta praça e dirigiu Agostinho Borges (benévolo em nossa opinião, na volta concedida ao ganadeiro), assessorado pelo Dr. Guerra.