segunda-feira, 30 de Abril de 2012

Sevilha - a feira de Manzanares e dos Bandarilheiros


Manzanares e a quadrilha saudando (foto-D.R.)

Terminada a Feira de Abril de Sevilha, pouco fica para recordar. A maioria das ganadarias (com excepção de Fuente Ymbro) teve uma grande percentagem de touros que não serviram para o toureio. Para o toureio moderno, com um touro de monoencaste que está a ferir a Festa , retirando-lhe a emoção do touro bravo, encastado, que transmita ao aficionado essa emoção tão necessária.
Para recordar fica a tarde gloriosa (mais uma) de José Maria Manzanares, com mais uma Porta do Principe; a tarde de Talavante e o nano-amano de Fandiño e Mora pelo empenho de ambos os toureiros.
No entanto, desta feira fica para recordar as actuações de muitas das quadrilhas, com o expoente máximo para a de Manzanares (Juan José Trujillo, Curro Javier e Manuel  Blásquez) e as ausências de "El Juli" e Perera.
Este acontecimento faz-me recuar aos inícios dos anos oitenta, em que numa das Feiras de Abril a que assisti, os grandes triunfadores foram os bandarilheiros como Alfonso Ordóñez, Finito de Triana ou Tito de San Bernardo.

Sem comentários:

Enviar um comentário